A paralisia do carrapato pode ser prevenida com medidas simples que devem ser aplicadas à rotina do pet.

Doenças como babesiose ou erlichiose, acometem os cães e são
transmitidas por carrapatos. Mas, além dessas, também existem outras enfermidades causadas por esses parasitas.

Uma delas é a paralisia do carrapato, o termo diz respeito a uma
doença causada por uma toxina presente na saliva das fêmeas de algumas espécies de carrapato.

Essa substância, ao entrar no organismo do animal, afeta o sistema nervoso do cachorro e provoca alguns sintomas característicos.

Segundo a veterinária Fernanda Araújo do Consultório Santa Luzia, a paralisia do carrapato também pode acometer bezerros e cavalos.

É importante saber que os sinais da presença desta toxina vão surgindo gradativamente de acordo com o estágio da doença.

Fique atento para algumas situações:

* Vomito ou dificuldade para se alimentar;
* Salivação excessiva;
* Pupilas dilatadas;
* Perda dos movimentos de forma parcial ou completa;
* Perda parcial ou completa dos reflexos;
* Episódios de asfixia;
* Pressão alta;
* Ritmo cardíaco acelerado;
* Fraqueza nos membros posteriores.

QUAIS SÃO OS TRATAMENTOS PARA PARALISIA DO CARRAPATO

O diagnóstico da doença só pode ser dado por um médico veterinário
especialista.

Somente o profissional será capaz de fazer uma avaliação clínica e analisar exames laboratoriais e de imagem para prescrever o tratamento mais eficaz, afirma a veterinária Lívia Romeiro do Vet Quality Centro Veterinário 24h.

O início do tratamento da paralisia do carrapato consiste na retirada
de todos os parasitas do corpo do animal.

Essa ação é fundamental porque é por meio dela que será impedida a liberação de mais toxinas no organismo do cachorro.

A desinfestação deve ser executada de modo que o aracnídeo seja
retirado completamente.

Em muitos casos, por desconhecimento, as pessoas arrancam o parasita, mas a presa permanece no corpo do cachorro, o que
promove a presença da toxina que, conforme já falamos, está presente na saliva.

Caso o animal não esteja com alto nível de infestação, o problema
já pode ser solucionado com a retirada dos parasitas de seu corpo
seguida da devida higienização.

Dessa forma, o cachorro vai deixando de apresentar os sintomas gradualmente.

No entanto, se o animal apresentar sintomas de paralisia respiratória,
é bem provável que o veterinário indique a internação em um
veterinário 24 horas.

O cachorro, além dos cuidados atenciosos, receberá ventilação artificial e uma série de medicamentos que atuarão combatendo os efeitos da toxina que está presente em seu organismo.

Se o diagnóstico for feito no início da doença, os tratamentos costumam ser menos invasivos e o animal poderá ter sua rotina de volta mais rápido.

COMO PREVENIR A PARALISIA DO CARRAPATO

Esse parasita pode estar presente em qualquer ambiente, inclusive em áreas urbanas e residenciais.

Portanto, a ideia de que carrapatos só habitam em lugares onde há predominância de paisagem rural deve ser desconstruída.

O mesmo vale para quem pensa que esses parasitas só se multiplicam em ambientes muito quentes ou onde há a presença de pastos e currais.

Muito pelo contrário, eles também podem atacar os seres humanos e
manter o ciclo de reprodução em qualquer lugar.

Por isso, os carrapatos podem entrar em contato com o seu cachorro em todos os ambientes que ele frequentar, o que torna difícil, mas não impossível, combater a infestação.

Diante desse quadro, pode-se tomar algumas medidas que têm como
objetivo resolver o problema antes que ele aconteça.

HIGIENIZAÇÃO

O animal deve ter uma frequência de banho e tosa de acordo com as
orientações do veterinário.

USO DE CARRAPATICIDAS

Esses produtos servem para eliminar possíveis parasitas. Como se trata de substâncias que podem ser tóxicas, eles só devem ser utilizados com autorização do veterinário.

INSPEÇÃO

Tenha o hábito de inspecionar o corpo do cachorro e verificar se há a
presença de carrapatos.

Normalmente, eles ficam alojados nas regiões das orelhas, pescoço, coxins e barriga.

CUIDADO DURANTE OS PASSEIOS

Sempre que for passear com seu cão, verifique se ele não foi invadido
por algum carrapato.

Não é preciso impedir que ele conviva com outros animais.

PROTEJA SUA CASA

Mantenha o ambiente onde o cachorro fica limpo e seco. Se a o tutor
mora em uma região onde há muitas infestações, dedetize a casa para manter os carrapatos longe do pet.

Mas, tome cuidado com os pesticidas para que eles não sejam tóxicos para o animal.

PRODUTOS DE PREVENÇÃO

No mercado pet, existem muitos produtos que podem ser utilizados para evitar que o animal seja infestado.

Os mais comuns são os pesticidas vendidos em pipetas e as coleiras carrapaticidas.

Informe-se com o veterinário para que ele indique qual é o que mais
se adéqua às necessidades do seu cãozinho.

RETIRADA DE CARRAPATOS

Os parasitas devem ser retirados em sua totalidade para garantir que a toxina não fique presente no organismo do cachorro.

Por isso, se for identificado a presença de um carrapato, utilize uma pinça especial para sua remoção.

Se tiver dúvidas a respeito desse procedimento, leve o animal a um
especialista para que ele retire o carrapato sem maiores problemas.

Nunca deixe de levar o animal com frequência para uma consulta com um veterinário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.