As festas de fim de ano estão chegando e alguns cuidados são necessários para com seu cão ou gato.

O que pode ser festividade para você, pode ser um vilão para seu animal de estimação, como, por exemplo: decorações, ceias e fogos de artifício.

O Médico Veterinário e gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado, dá algumas dicas de como aproveitar o Natal e a virada do ano, ao lado do seu pet:

  1. Decorações

Coisas luminosas e que balancem chamam a atenção dos gatos. Uma árvore de natal bem decorada e com muitos enfeites pode ser uma atração divertida, mas perigosa.

O primeiro passo é escolher uma base forte e sólida para segurar a árvore, depois cercá-la, para que o felino não se aproxime.

Prefira enfeites de plásticos, em vez de vidro, e pendure os mais delicados, sedutores e perigosos no topo.

“Gatos são curiosos e é importante distraí-los. Coloque brinquedos próximos à árvore ou até o arranhador, tirando assim, a atenção do pet. Outro detalhe é impedir que ele mastigue o fio do pisca-pisca e tome um choque. Prefira fios que interrompam a corrente automaticamente, quando danificados, e sempre desligue as luzes quando não estiver no local”, sugere Marcello.

  1. Ceias

Muitos tutores acabam partilhando alimentos das ceias com seus pets. Isso prejudica a saúde e pode causar intoxicações sérias nos animais de estimação.

Por exemplo, os cães, possuem menos papilas gustativas do que o ser humano e não sentem com tanta intensidade os sabores.

O principal vilão do cardápio é o chocolate, que pode ser tóxico para cães e gatos, já que o cacau possui teobromina – substância que pode gerar vômitos e diarreia.

“No lugar de comida caseira e petiscos, ofereça alimentos específicos.  Os snacks podem ser oferecidos como agrado ou  recompensa, inclusive em momentos de festa, quando os pets ficam olhando para o tutor implorando por um agrado”, aconselha o médico veterinário

  1. Fogos de artifício

A queima de fogos de artifício pode deixar cães e gatos agitados, com medo e até estressados.

Snacks que possuem triptofano, podem proporcionar mais tranquilidade ao animal e colabora para acalmá-lo, além de proporcionar bem-estar.

A alimentação pode estar alinhada à dessensibilização – prática que costuma dar certo em muitos casos.

“O tutor deve colocar a TV, ou o próprio celular, em um volume baixo com sons de fogos de artifício, para o cão se acostumar com aquele ambiente. Conforme ele vai se adaptando, o som deve aumentar gradativamente e paralelo a isso, dê um snack. Assim, ele associará o barulho com algo bom e perderá o medo. Caso seu pet tenha comportamentos agressivos, evite pegá-lo no colo”, recomenda Machado.

  1. Vai viajar com pet?

Primeiro planeje sua viagem e faça um roteiro que consiga incluir o seu pet nessa viagem.

Depois, pense em qual tipo de transporte irá usar. Caso utilize um automóvel, cães devem usar cintos de segurança e os gatinhos precisam ser transportados em caixas apropriadas.

Cachorros de grande porte podem viajar no porta-malas, desde que tenham rede de proteção.

“Planeje paradas a cada duas ou três horas e tenha bastante água. Afinal, os cães sofrem mais com o calor do que nós e precisam ficar hidratados. Leve também, uma quantidade suficiente da ração que seu pet está acostumado a comer. Fique atento à carteirinha de vacinação do seu bichinho, leve os remédios que ele costuma tomar e os medicamentos para casos de emergência. Não esqueça de procurar antes de viajar uma clínica veterinária de referência no seu destino”, destaca Marcelo.

Caso o seu cão ou gato não viaje com você, algumas dicas também devem ser seguidas:

  • Primeiro estude opções de hospedagem para cães e gatos ou pet sitter;
  • Chame um amigo ou familiar para cuidar do seu pet na sua ausência. Importante que, seja alguém de confiança e que seu animal de estimação se sinta confortável com a pessoa;
  • Confira se todas as portas e janelas, mesmo as que possuem grades e telas, estejam bem fechadas;
  • Deixe brinquedos que ajudem a distrair o animal, para manter seu pet ocupado com algo seguro e eficaz.
  • Se puder, deixe uma camiseta ou algo que tenha seu cheiro. Isso faz com que seu pet não se sinta tão sozinho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.