Nas últimas décadas, os cientistas tentaram determinar se o “efeito animal de estimação” é saudável quando se é tutor de um animal ou também quando há apenas uma interação casual com ele.

Na maioria das vezes, eles descobriram que os tutores são mais saudáveis, tanto física quanto mentalmente, do que pessoas sem animais de estimação.

Aqui estão 7 razões  pelas quais os animais de estimação são bons para você, apoiados pela ciência.

Animais de estimação são bons para o seu coração

Animais de estimação, especialmente cães, são bons para o seu coração de duas maneiras: eles dão apoio social e motivam você a se exercitar.

Se você tem um cachorro que precisa passear, é mais provável que saia mais do que se estivesse em casa sozinho.

De acordo com um estudo de 2017, possuir um cão estava associado a taxas mais baixas de doenças cardiovasculares (DCV) e mortalidade.

Os cientistas que conduziram o estudo disseram que isso pode ocorrer porque os cães fazem com que os seus tutores se sintam menos solitários e estressados, e porque eles fazem com que eles se movimentem mais.

A American Heart Association (AHA) concorda que ter um cachorro faz bem ao seu coração. Segundo eles, alguns estudos concluem que animais de estimação também ajudam a reduzir a pressão alta.

Cães reduzem os níveis de estresse

Uma meta-análise de 2012 analisou 69 estudos sobre como os animais afetam seus tutores, e a maioria deles tinha uma coisa em comum: redução do estresse.

Além de ter taxas mais baixas de pressão alta, os tutores de animais mostraram uma redução do cortisol, o hormônio do estresse do corpo.

Em um experimento, as crianças foram colocadas em um ambiente socialmente estressante. Um grupo tinha um adulto amigável com elas e outro tinha um cachorro amigável.

As crianças com o cão amigável apresentaram níveis mais baixos de cortisol. Quanto mais eles brincavam com o cachorro, menos estressados estavam.

Os donos de animais visitam o médico com menos frequência

Essa mesma meta-análise analisou os tutores de cães e gatos e a frequência de suas visitas ao médico.

E descobriu que, em média, os donos de cães e gatos visitavam o consultório com menos frequência.

Eles também dormiam melhor e tiravam menos dias de folga do trabalho anualmente.

Se as consultas médicas são tomadas como um sinal de problemas de saúde, o estudo conclui que os donos de cães e gatos são o grupo mais saudável.

Animais de estimação são bons para a velhice

Para os idosos, possuir um animal de estimação pode tornar a vida muito melhor, especialmente se eles estão vivendo sozinhos.

De acordo com uma pesquisa realizada em abril de 2019 pela Universidade de Michigan, 73% dos tutores de animais mais velhos disseram que o animal lhes proporcionava um senso de propósito.

Além disso, 79% disseram que seus animais de estimação reduziram o estresse e 65% disseram que seus animais de estimação os ajudavam a se conectar com outras pessoas.

Todos esses fatores contribuem para o envelhecimento saudável. Um estudo de 2017 descobriu que a posse de animais era boa para a saúde geral das pessoas idosas.

No estudo, os animais de estimação foram descritos como um “impedimento psicológico à solidão”.

Cavalos podem ser capazes de ajudá-lo a se recuperar de um trauma

Não são apenas os cães e gatos que podem ajudá-lo a ter uma vida mais saudável.

Um estudo de 2008 analisou os cavalos e seu relacionamento com as pessoas e descobriu que eles podem nos ajudar a lidar com o trauma.

O estudo examinou um punhado de pacientes que passavam algum tempo montando cavalos como um exercício de terapia e descobriu que esses pacientes eram capazes de lidar melhor com o trauma do que aqueles que não passavam tempo com cavalos.

Ter um cachorro pode beneficiar crianças com autismo

Toda criança com autismo é diferente, o que significa que ter um animal de estimação afeta cada criança de maneira diferente.

Um estudo de 2016 examinou a posse de cães em famílias com crianças autistas e constatou que, em geral, ter um cachorro ajudou as crianças com comunicação, cooperação e atenção. Em muitos casos, ter um cachorro acalmou a criança.

De acordo com o Autism Speaks, os pais devem considerar cuidadosamente adquirir um animal de estimação se o filho tiver autismo.

Um cão hiperativo pode ter o efeito oposto na criança, que pode ficar agitada ou estressada.

A terapia animal pode substituir a medicação para a dor

Embora a medicação para a dor tenha um objetivo muito real – ajudar as pessoas a lidar com a dor intensa por várias razões – a tolerância à dor pode variar de pessoa para pessoa.

Neste estudo de 2014, os pacientes que se recuperavam da cirurgia de substituição articular total foram tratados com terapia assistida por animais (AAT), além de tomar medicação para dor tradicional. Outros pacientes receberam apenas o remédio para dor. Os pacientes com AAT se recuperaram mais rapidamente do que aqueles sem.

“A conexão animal-humano é poderosa na redução do estresse e na geração de uma sensação de bem-estar“, disse Julia Havey, autora e pesquisadora do Sistema de Saúde da Universidade Loyola.

Fonte: Business Insider

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.